Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Moro, a Justiça que se pretende é para todos, não pode ser seletiva

fb_img_1457517879498.jpg

Não é mais possível acreditar na pretensa isenção e “intenções” de Moro

Para mim está mais do que claro que, após a desastrada ação da Polícia Federal contra Lula, a mando de Moro, este juiz não pretende passar o país a limpo, livrar o Brasil da corrupção.

Ficou muito nítido que as ações casadas entre a Polícia Federal, MP e Globo, tem por objetivo, unica e exclusivamente, tomar o poder.

Pois senão, vejamos: Se houvesse isenção e apartidarismo, Aécio Neves, que foi citados cinco vezes na Lava Jato, já teria sido chamado a depor.

FHC que, após denúncias de uma ex-amante, teria enviado dinheiro para o exterior, de maneira ilegal, enquanto ainda era presidente da República, por meio de uma empresa que tinha contratos com a estatal que controlava os aeroportos, já teria sido chamado a depor.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que tem seu governo envolvido num escândalo de desvio de merenda escolar, sem contar as denúncias do ministério público suíço sobre desvios de centenas de milhões no sistema de transporte sobre trilhos do estado mais rico do Brasil, que envolveu o ex-governador e atual senador, José Serra, já teria sido chamados a depor.

Até o momento o que se vê é um festival de cerceamento do direito à defesa de citados e proteção a políticos do PSDB, que levou, vejam só, Paulo Maluf a conceder o selo de honestidade ao PSDB de São Paulo!

Não me recordo na história deste país, após 1930, de um ex-chefe de Estado ter sido levado a depor, sob forte aparato policial, requintado com um cenário de Swat criado pela Polícia Federal e transmitido ao vivo pela Globo.

Nem Getúlio Vargas, que foi levado ao suicídio por seus inimigos, nem Jango, que teve que fugir do país após um golpe militr passaram por tal situação. JK chegou a prestar depoimento aos militares, durante a ditadura militar, mas sem condução coercitiva.
Os ex-presidentes vivos, Sarney, Collor e FHC nunca foram incomodados.

Aí eu penso: será Lula o maior criminoso da história desse país? Pois foi tratado como se o fosse. Que teria desviado bilhões e bilhões de dólares para viver em São Bernardo do Campo e visitar sítios em Atibaia? Pretender manter um Instituto, assim como faz FHC e muitos outros ex-presidentes de vários países ocidentais?

Ou posso fazer a pergunta, por um outro ângulo: serão Sarney, Collor e FHC honestos, íntegros e sem qualquer máculas em suas trajetórias políticas? Terão sido ilusórias todas as denúncias que envolveram seus governos, alguns até com acusação de compra de votos de para reeleger-se?

E o que dizer dos reiterados e acintosos vazamentos de depoimentos sigilosos para a imprensa, em especial para a Globo? Conduta viciada para criar espetáculos midiáticos e formar, de antemão, culpa.

A Justiça que se pretende é para todos, não pode ser seletiva.

Se a sua prática é a flagrante seletividade, aí o que temos não é a pretensão de se passar o país a limpo, mas sim de eliminar adversários políticos e assaltar o poder. Repassando em seguida o comando para aqueles que gritam contra a corrupção, mas têm muito o que explicar à Justiça.

O combate à corrupção não pode ser pano de fundo de propaganda para golpes de qualquer natureza, a democracia custou muito caro aos brasileiros.

Sinto muito, mas é preciso dizer que Moro age a serviço daqueles que querem assaltar o poder, porque se não se incomoda com o fato de confraternizar-se com quem sonega milhões e constrói mansões em áreas de proteção ambiental, ou finge que não vê que o PSDB têm muito o que explicar ao país, ele é sim, instrumento do golpe.

Eu não acredito nas intenções de Moro, porque suas práticas o desmentem.

Do Facebook de Cláudio Ribeiro

3 comentários em “Moro, a Justiça que se pretende é para todos, não pode ser seletiva

  1. Edgard Ribeiro
    11/03/2016

    desde o inicio dessa Operação, sempre ficou claro que o objetivo era torna o Presidente Lula inelegivel, para assaltar o poder a mando dos poderosos (Globo), mas essa injustiça não acontecerá. Deus está ao lado dos injustiçados. Lula está nos braços do povo. e tem legitimidade para tal.
    Com Lula no governo, pobre teve direito a ter vida digna, estudar, ter sua casa, viajar, ter seu carro. isso eles não suportam. Queremos Lula na presidência e isso eles não vão impedir.

    Curtir

  2. Pingback: Moro, a Justiça que se pretende é para todos, não pode ser seletiva | Q RIDÃO...

  3. Pingback: Moro, a Justiça que se pretende é...

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 09/03/2016 por em imprensa conservadora, mídia, politica e marcado .

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: