Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Marina é tudo e nada em um mesmo formato

Qual Marina o eleitor conhece? A combatente dos seringueiros e povos da floresta, quando militante do PT? Ou a personalização da negação à política como elemento transformador da sociedade, desde que abandonou o governo Lula? O Itaú apoia a segunda...

Qual Marina o eleitor conhece? A combatente dos seringueiros e povos da floresta, quando militante do PT? Ou a personalização da negação à política como elemento transformador da sociedade, desde que abandonou o governo Lula? O Itaú apoia a segunda…

Extraída a aura mítica que a grande imprensa criou para Marina Silva, desde que ela abandonou o ministério do governo Lula em 2008 e, logo em seguida, o PT, para candidatar-se a presidência em 2010, o que lhe resta?

É sabido seu discurso por parte do povo brasileiro?

Aos que enxergam nela a novidade ou redenção do país, o que exatamente idealizam em sua figura?

Aqueles que a exaltam e confiam nos seus rebuscados e presunçosos discursos, o que compreendem como diferença de tudo o que está posto na política brasileira?

A impressão que fica é que Marina não é de carne e osso, é um produto criado para convencimento daqueles que rejeitam a política como meio de transformação da sociedade, este é o seu uso tópico.

Uma das melhores definições sobre esta imagem projetada sobre o povo brasileiro, veio da coordenadora de sua campanha, atual colega de partido e outrora também no PT, Luiza Erundina: “Marina Silva desorganiza e deseduca a sociedade”.

A imposição de sua candidatura pelos agentes mais conservadores do cenário político e econômico, nada mais é que, simplificando ao máximo este texto, a negação suprema dos valores da coletividade, das virtudes da sociedade organizada e, ao mesmo tempo, a afirmação de que uma oferta meramente personalista, porém incapaz de gerar um impulso transformador na sociedade, seria a solução de todos os problemas (exceto aqueles inúmeros que, inevitavelmente, poderá criar).

Marina é tudo, em suas arrogância e formato, e nada em seu enunciado vácuo.

Anúncios

5 comentários em “Marina é tudo e nada em um mesmo formato

  1. Aurea
    26/08/2014

    Marina Silva, é um engodo politico nacional.

    Curtir

  2. Aurea
    26/08/2014

    Marcelo Rocha ,vc fala muita besteiras…

    Curtir

  3. Marcelo Rocha
    24/08/2014

    Qualquer pessoa de bom senso sabe QUE MARINA É MUITO MAIS ÉTICA E DECENTE QUE DILMA. Muita gente da ala suja do PT deveria lavar a boca antes de pronunciar nome dessa grande cidadã deste país.
    Essa grandiosa mulher CARREGA A GARRA E A VONTADE DE MUDAR DO POVO BRASILEIRO. Durante sua infância e parte de sua adolescência, Marina viveu com sua família em uma palafita chamada Breu Velho, no seringal Bagaço, a 70 km do centro deRio Branco. Seus pais tiveram onze filhos, dos quais oito sobreviveram. A mãe de Marina, Maria Augusta da Silva, faleceu quando a mesma tinha quatorze anos, vítima de inúmeras doenças adquiridas pela falta de infraestrutura no local onde viviam.
    Aos quinze anos, foi viver na zona urbana de Rio Branco, para tratar de sua saúde. Havia contraído hepatite, porém os médicos atestaram ser malária. Na mesma época, duas de suas irmãs faleceram, uma vítima de sarampo e outra vítima de malária. Fixou-se definitivamente em Rio Branco em 1974, recebendo os cuidados do então bispo do Acre, Dom Moacyr Grechi, que a acolheu na casa das irmãs Servas de Maria. Analfabeta, Marina foi matriculada no Mobral, projeto de alfabetização do regime militar, alfabetizando-se aos dezesseis anos. Após concluir sua alfabetização, estava apta para seguir com os estudos e já sonhava em uma graduação, optou por fazer vestibular, decidindo cursar História e formando-se em 1984, aos vinte e seis anos, na Universidade Federal do Acre.
    Marina Silva foi PTista, do tempo que o PT era PT, tinha ideais. Aquele nosso e belo PT já morreu, perdeu a sua simplicidade e os valores que o criaram…Tem esse PT, o PT dos outros… O PT que traiu Marina, mas Marina jamais traiu o PT e seus ideais… O petismo desapareceu. O que existe é lulismo. Na formação do PT, a democracia imperava. Militantes e simpatizantes tinham vez e voto. Toda a linha, a conduta do Partido era discutida. Hoje vive debaixo do chinelo do Lula. Botou na presidência uma fantoche, uma marionete, por isso fez questão de empurra-la garganta abaixo.

    Curtir

  4. Pingback: Marina é tudo e nada em um mesmo formato...

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 24/08/2014 por em eleições, politica e marcado , , , , , , .

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.452 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: