Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Desmascarando o engodo tucano sobre os impostos

A tabela que ilustra este post demonstra, claramente, que quem posa de justo com a questão fiscal mente para a opinião pública, contando com um esquecimento providencial que o tempo e a mídia podem favorecer.

A tabela que ilustra este post demonstra, claramente, que quem posa de justo com a questão fiscal, não diz a verdade para a opinião pública, contando com um esquecimento providencial que o tempo e a mídia podem fornecer

Frequentemente é possível identificar porta vozes do pensamento neoliberal, que vem a público para dizer que é preciso baixar impostos, desonerar o setor produtivo e aliviar os assalariados.

De fato, creio que estes setores precisam ser desafogados e que os impostos passem a incidir sobre grandes fortunas e lucros apurados.  Liberando o consumidor e o empregador de parte da carga tributária.

Mas é preciso estar atento sobre quem está fazendo tal discurso.

Não é raro encontrar ex-integrantes do governo FHC fazendo tal defesa na imprensa [saiba quem são estes AQUI ].  Cantam a pedra da carga tributária, a mesma que atiraram sobre os pequenos e médios empresários e o trabalhador ao longo de 8 anos de arrocho fiscal.

Entre janeiro de 1995 e dezembro de 2002 a inflação acumulada no governo tucano foi 100,06%.  Mas a tabela que corrige as isenções de imposto de renda para pessoa física foram corrigidas em apenas 56,4%, chegando a ficar congelada por seis longos anos!

O trabalhador foi duramente penalizado e a tributação para quem vivia de salário neste período cresceu bastante. E isto não foi suficiente para equilibrar as finanças do governo, pois a carga tributária explodiu e o país teve que, de joelhos, recorrer ao FMI por três vezes em oito anos!

E são estes senhores que vem bradar contra a carga tributária? Não possuem legitimidade para isso, pois foram os agentes do desequilíbrio das contas públicas, mesmo tendo arrecadado cerca US$80 bilhões com as privatizações.

Como efeito de comparação, nos governos Lula/Dilma, entre 2003/2013, a inflação acumulou uma taxa de 87,04%, ou seja, em 11 anos cresceu menos que nos oito anos de FHC.

No mesmo sentido, Lula e Dilma diminuíram a defasagem referente a correção da tabela de imposto de renda pessoa física neste período, que chegou a 61,7%.

Resumo: inflação menor, correção da tabela de imposto de renda maior entre 2003 e 2013.

O cinto foi desapertado para o trabalhador assalariado e a situação fiscal do governo melhorou bastante neste período, sem necessitar recorrer ao organismos financeiros internacionais.  Aliás, o governo petista pagou o que devia e ainda emprestou U$10 bilhões ao FMI!

É óbvio que ainda é preciso melhorar a tributação brasileira, mas não são estes que hoje posam de sabedores da fórmula mágica que apresentarão uma proposta justa.

O que buscam, dissimuladamente, é defender os interesses dos grandes bancos privados e aumentar os ganhos do cassino financeiro, com a adoção de juros mais altos.

Definitivamente, este não é o caminho.

Desonerar a folha de pagamento, gradualmente; aumentar o valor de isenção de impostos para as pessoas físicas e criar novas alíquotas para quem ganha mais; taxar, pesadamente, grandes fortunas, terras improdutivas, o lucro apurado e o sistema financeiro é parte da solução para se chegar a um sistema de tributário mais justo.

O que se escuta ou se lê nos dias atuais, através da imprensa dita especializada, ou é malabarismo político eleitoral, ou apenas a defesa de grandes clientes em busca de mais dinheiro.

É preciso estar atento aos “defensores” da desoneração fiscal, pois os cordeiros de hoje, são aqueles velhos lobos de ontem…

*Onde encontrar:

Inflação acumulada

Tabela de IRPF

Anúncios

4 comentários em “Desmascarando o engodo tucano sobre os impostos

  1. Daniel Leal
    10/10/2014

    Blz Amigão, agora vamos aos números…
    Faça o seguinte, acompanhando sua linha de raciocínio que afirma o esquecimento providencial que o tempo e a mídia podem fornecer, verifique a situação do Governo antes de Itamar e FHC. A economia só foi estabilizada no governo de FHC colega, o PT pegou o governo com inflação a 9% e está entregando com 6.5%, enquanto Itamar assumiu com 1.119,101% e passou para FHC com 22,408% e os mesmo entregou com 9.3%.
    Então me responda sinceramente, quem fez a diferença mesmo colega?
    Nos meus cálculos 22.4% para 9.3% é uma conquista muito maior que de 9.3 para 6,5% e com esse PIB lastimável.
    Abraços…

    Curtir

    • Cláudio Ribeiro
      05/12/2014

      Daniel, a média de crescimento dos seus defendidos foi muito menor, assim como a geração de emprego e renda… O seu raciocínio tenta simplificar um fato relevante, para não tornar ainda mais medíocre os resultados na economia, inflação/PIB/emprego/renda dos governos tucanos.
      Por fim seja feita uma justiça: o plano real é do governo Itamar, do qual FHC foi o último ministro da fazenda para poder ser candidato como o “pai do plano”, coisa que não foi…

      Curtir

  2. Pingback: Desmascarando o engodo tucano sobre os impostos | Blog dos Desenvolvimentistas

  3. florencio1
    27/04/2014

    Republicou isso em Florencio1's Blog.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.452 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: