Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

E o mensalão tucano, Barbosa: pau que dá em chico, dá em francisco?

Vossa Excelência, presidente do STF, uma pergunta, em alto e bom tom: a denúncia do PGR vai prosperar no STF, Barbosa?

Vossa Excelência, presidente do STF, uma pergunta, em alto e bom tom: a denúncia do PGR vai prosperar no STF, Barbosa?

A denúncia do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, contra Eduardo Azevedo coloca em xeque a verdadeira posição do STF e de seu presidente, Joaquim Barbosa, sobre a auto missão proclamada e propagada de acabar com a impunidade dos crimes de colarinho branco.

Apesar dos festejos da imprensa sobre a atuação do STF e alguns de seus notáveis membros, pouco se percebe, fora da linha midiática que os cercam, ações concretas de combate a corrupção e democratização da justiça brasileira.

Parece que tudo começou e encerrou-se no julgamento de mensalão.

Então deixo algumas questões, mínimas, sobre o desenrolar dos fatos:

Barbosa aplicará, sem dó, a teoria do domínio do fato aos tucanos envolvidos no mensalão tucano, a começar por Eduardo Azeredo?  Não que considere correta a maneira como foi usada para condenar José Dirceu e José Genoíno, porque  entende-se “que teoria não condena quem, sem ela, seria absolvido. Não dispensa a prova da culpa nem autoriza que se condene com base em presunção.”

Será Azeredo submetido, impiedosamente, a uma superexposição midiática, a começar pelas transmissões das sessões do pleno pela TV justiça?

Ministros serão arguidos e falarão, sem qualquer incomodo, sobre o caso pela mídia, ou seja, fora dos autos?

Será que ocorrerão, como foi de costume no processo do mensalão, vazamento de votos para a imprensa, via colunistas amigos no jornal O Globo?

Gilmar Mendes se encarregará de condenar e fazer juízo antecipado sobre este escandaloso crime de lavagem de dinheiro? Ou este tipo de pré-julgamento só acontece quando se trata de lista solidária para pagar as multas de petistas?

Aliás, nunca é demais lembrar que Mendes, desde o início tentou desqualificar o mensalão tucano e que votou pela rejeição das denúncias.

Mendes é também suspeito de ter se beneficiado do esquema milionário, segundo a revista Carta Capital, o ministro do STF teria recebido cerca de R$185 mil.

Em julho de 2012 repercutimos a matéria do semanário de Mino Carta sob o apropriado título “Gilmar Mendes: o óbito da probidade?” AQUI:

“…Mendes segue colecionando escândalos e sendo protegido dos feitos duvidosos que protagoniza.

O personagem deste mal acabado enredo, não custa nada lembrar, no caso do Mensalão tucano, votou convicto pela rejeição da denúncia contra o senador tucano de Minas Gerais, Eduardo Azeredo. 

Na edição de Carta Capital desta semana, é publicada uma lista inédita de beneficiários do caixa 2 da campanha à reeleição do senador mineiro, então candidato a governador em 1998. 
A suspeição se materializa pela aparição do nome de Mendes nesta lista e ao lado o registro do valor de 185 mil reais.
O esquema foi operado pelo publicitário Marcos Valério de Souza, que assina a lista registrada em cartório.
Coincidência?”

[O ministro Mendes é um capítulo a parte do contínuo processo de descrédito da justiça brasileira.  A recente descoberta de ilícitos na concorrência do TJ da Bahia que o teria favorecido em um contrato de R$13 milhões, apenas serve para somar a outros casos nebulosos que o envolvem desde que chegou ao STF pela indicação de FHC…(clique nos links e descubra outras “participações” controversas de Mendes]

E a Lista de Furnas, doutos senhores de toga, é o elo que une o mensalão tucano ao governo FHC e bicudos personagens da política nacional?

Serão passados em pratos limpos tais investigações, ou serão rejeitadas e engavetadas até prescreverem?

O Trensalão Tucano, demorará cerca de 15 anos para ser denunciado pelo PGR, o tempo que demorou para este crime chegar as portas do Supremo?

A sociedade precisa ficar atenta aos próximos passos do STF e exigir a aceitação da denúncia de Janot, além das devidas punições aos culpados. A régua precisa ter o mesmo gabarito para os dois casos, este mensalão tucano e o que foi o julgamento do mensalão.

Afinal Barbosa, pau que dá em chico, dá em francisco?

Anúncios

Um comentário em “E o mensalão tucano, Barbosa: pau que dá em chico, dá em francisco?

  1. Jose Carlos Machado
    08/02/2014

    As Alegações Finais, e não Denuncia como dito acima, produzidas pelo PGR Janot, requerem ao STF, e não ao Ministro Barbosa, a condenação do Deputado Azeredo em 22 anos de prisão. Espero que se configurada a culpa do mesmo, seja condenado do mesmo jeito que os calhordas; biltres; pulhas; patifes, meliantes do caso Mensalão…não há por quê ser diferente. A Lei foi feita para todos e em todos tem que ser aplicada, em maior ou menor grau de acordo com a culpa do Réu. Assim, concordo, e acho muito justo, que o pau que bate em Chico, bata em Francisco…Dura Lex, sed Lex..

    Curtir

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: