Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

PGR denuncia tucano Azeredo, com a palavra “Mervais” e “Jabores”

Janot denunciou ex-governador mineiro, Eduardo Azeredo por peculato e lavagem de dinheiro e pediu mais de 22 anos de prisão para o tucano e aliado de Aécio Neves

Janot denunciou ex-governador mineiro, Eduardo Azeredo, por peculato e lavagem de dinheiro e pediu mais de 22 anos de prisão para o tucano e aliado de Aécio Neves

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Eduardo Azeredo, ex-governador de Minas Gerais e atual deputado federal pelo PSDB por peculato e lavagem de dinheiro, no mensalão mineiro.

A quadrilha que desviou milhões de reais dos cofres públicos seguia faceira, livre, leve e solta, sem ser incomodada pela justiça ou pela mídia.

Marcos Valério, já preso, foi o principal operador deste esquema milionário.

E agora, qual será a reação de nobres e éticos colunistas?

Quais serão os editoriais que Merval Pereira e Arnaldo Jabor, por exemplo, assinarão?

E FHC, grão mestre tucano e mentor da candidatura de Aécio Neves, dirá que se trata de coisa pequena o esquema comandado pelos seus correligionários e apoiadores no estado de origem do candidato do PSDB à presidência da república?

Ou será que, a moda da Veja, esta notícia será escanteada, pouco comentada e esquecida?

Confira a publicação da Carta Capital:

MPF pede prisão de Azeredo por “mensalão mineiro”

Procurador Rodrigo Janot acusa o deputado do PSDB por peculato e lavagem de dinheiro. Leia a íntegra das alegações finais

O Ministério Público Federal entregou nesta sexta-feira 7 ao Supremo Tribunal Federal as alegações finais do processo do chamado “mensalão mineiro” e pediu 22 de anos de cadeia e multa de 623 dias multa (o equivalente a cerca de 450 mil reais) para o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), ex-governador de Minas Gerais.

Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, está demonstrado que o desvio de recursos em Minas Gerais e a lavagem de capitais “tiveram participação direta, efetiva, intensa e decisiva” de Azeredo. A defesa do deputado do PSDB sustenta que possui isenção sobre a condução financeira de sua campanha eleitoral, gerenciada por terceiros.

Segundo Janot, há provas suficientes para “afirmar com segurança” que o deputado participou da operação que “culminou no desvio de 3,5 milhões de reais, aproximadamente 9,3 milhões de reais em valores atuais”. O procurador destacou também uma “complexa engenharia financeira” para o desvio de recursos públicos, o que sugere um “prévio ajuste entre os envolvidos”.

Segundo a denúncia de 2007, Azeredo, com objetivo de financiar sua campanha à reeleição do governo de Minas em 1998, montou um esquema de desvio de recursos públicos no Estado, com auxílio do publicitário Marcos Valério. Teriam sido utilizados recursos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), da Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig) e do Grupo Financeiro Banco do Estado de Minas Gerais (BEMGE). Os recursos eram liberados em favor da empresa SMP&B, de Marcos Valério, a mesma envolvida no “mensalão” do PT, pelo qual Valério cumpre pena em regime fechado. Ao final, essas verbas eram destinadas, em espécie, à campanha de Azeredo.

Em setembro de 2013, Nélio Brant Magalhães, ex-diretor do Banco Rural, foi o primeiro condenado no “mensalão mineiro”. Ele recebeu pena de nove anos e nove meses de prisão pelos crimes de gestão fraudulenta e gestão temerária de instituição financeira. A condenação, à qual cabe recurso, foi realizada pela Justiça Federal em Minas Gerais uma vez que, ao contrário do “mensalão” do PT, cujas condenações também foram confirmadas no ano passado, o processo envolvendo pessoas do PSDB foi desmembrado pela Justiça. Para o Ministério Público Federal, o “mensalão mineiro” é o embrião do “mensalão” do PT.

Atualização as 10h54: Li no ótimo Tijolaço que, como suspeitava, a denuncia foi tratada pelo O Globo, um dos diários tucanos brasileiros mais poderosos, com incrível desequilíbrio, dando mais espaço para a defesa e pouco espaço sobre o caso denunciado pelo PGR. Pior: arrumou uma maneira de atacar o PT e fazer intrigas entre o partido e o STF… Qual é papel de um jornal? Ah, O globo sabe…

Anúncios

Um comentário em “PGR denuncia tucano Azeredo, com a palavra “Mervais” e “Jabores”

  1. Demorou mais a casa caiu para o lado do PSDB.
    Eu só quero ver o oco dessa tucanaiada sem vergonha.

    Curtir

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: