Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

O avanço do PIB, a crise na Zona do Euro e o “Aécio nem fiado”

PIB brasileiro avança além das previsões pessimistas do mercado e país segue estável e livre do desemprego que assola a Zona do Euro.  Crise mesmo é a que atinge os tucanos e fez tucanos de São paulo almoçarem fiado encontro em prol da candidatura de Aécio...

PIB brasileiro avança além das previsões pessimistas do mercado e país segue estável e livre do desemprego que assola a Zona do Euro. Crise mesmo é a que atinge o PSDB e fez com tucanos de São paulo almoçassem fiado em encontro com Aécio…

O IBGE divulgou os dados referentes ao crescimento do PIB no segundo trimestre. A economia brasileira avançou 1,5% em relação ao trimestre anterior, surpreendendo os especialistas da imprensa, que lançaram dúvidas e, em vários momentos, pareciam querer sabotar o setor produtivo nacional. O crescimento das somas de todas as riquezas só não causou espanto ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que já previa a recuperação dos índices econômicos do país e por conta disse foi, diversas vezes, desacreditado pelos agentes do mercado.

Confira trecho da matéria publicada no portal Ig:

“A economia brasileira acelerou no segundo trimestre de 2013 e cresceu 1,5% em comparação com o trimestre anterior. Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (30) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Essa foi a maior alta de trimestre contra trimestre desde os três primeiros meses de 2010, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 2,0% ante o período anterior.

A agropecuária puxou o desempenho positivo, com alta de 3,9%, seguida da indústria, que avançou 2,0%, e de serviços, que teve crescimento de 0,8%. 

Para o professor de economia do Ibmec, Mauro Rochlin, o crescimento da economia foi disseminado e deve ser comemorado. “Não apenas os três setores (indústria, serviços e agropecuária) tiveram um crescimento robusto. Também a alta dos subsetores da indústria mostra que o resultado não foi pontual nem episódico”.

No conjunto do primeiro semestre de 2013, o Produto Interno Bruto (PIB) teve alta de 2,6%. Já em relação ao segundo trimestre do ano passado, o PIB cresceu 3,3%. No acumulado de 12 meses, a economia expandiu 1,9%. Na comparação com o segundo trimestre de 2012, o PIB cresceu 3,3%.”

Os positivos dados de nossa economia contrastam com os indicadores europeus, que apresentam ainda um cenário de desemprego altíssimo e fraco desempenho de suas  economias.  O site do jornal Brasil Econômico divulgou os preocupantes índices de desemprego na Grécia e Espanha, muito acima da taxa de desemprego no Brasil:

“Mas enquanto a confiança melhorou, o desemprego na Zona do Euro em julho permaneceu em uma máxima recorde de 12,1%, com o forte contraste entre países como Alemanha e Espanha, mostrando que a melhora não está sendo sentida em todos os lugares.

Enquanto apenas pouco mais de 5% dos trabalhadores na Alemanha estavam desempregados, de acordo com a Eurostat, o número alcançou quase 28% na Grécia e ultrapassou 26% na Espanha.”

O que o IBGE demonstra é que o Brasil vem conseguindo manter-se estável, com demanda interna aquecida e empregos protegidos, muito distante do desolador quadro de estagnação que assola a Zona do Euro e desespera os mais jovens.

O Brasil real tem se apresentado muito diferente e melhor daquele que a imprensa e os analistas financeiros tentam vender para a opinião pública.  O país segue crescendo e superando os desafios que surgem no horizonte, os números confirmam este momento.

O avanço do PIB é uma resposta do Brasil produtivo, que acredita na força de trabalho do povo brasileiro, contra os pessimistas e sabotadores de plantão.

Crise mesmo parece existir no ninho tucano, conforme publicado pela coluna Poder on line, que revela que participantes de um almoço do PSDB paulista com Aécio Neves não pagaram suas contas, apesar de avisados pelo diretório estadual de que deveriam fazê-lo, e deram “beiço” no senador mineiro.  Seria esta uma manobra de José Serra para comprometer a futura campanha de Aécio? Ou seria um mal sinal para a candidatura do tucano mineiro? Pois se nem os seus correligionários honram suas contas para alavancar seu preferido, quem vai bancar sua aventura eleitoral?

“No convite para o almoço realizado com a bancada de deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo do PSDB e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi informado que cada presente pagaria por sua refeição em um restaurante na região central da capital paulista: R$ 68. No entanto, alguns parlamentares deixaram o evento sem pagar.

O presidente do diretório estadual do PSDB, deputado Duarte Nogueira (PSDB), afirmou que o tesoureiro do partido estava presente e faria o levantamento de quem não pagou para cobrar.

No cardápio salada de folhas verdes e para o prato principal era possível optar entre filé à parmegiana, capeletti recheado de carne ao molho quatro queijos ou peixe à Fiorentina. Garçons serviram também uísque e vinho, não inclusos no pacote.”

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.452 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: