Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Os Josés de São Paulo: rejeição e solidariedade

Espetáculo midiático da última terça-feira do Jornal Nacional, estrelado pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, com o auxílio de Serra, para massacrar Genoíno e Dirceu, não abalou a campanha de Haddad, segundo Datafolha e Ibope.  “Coincidentemente” contratados para pesquisar naquele dia e no seguinte…

Terá sido coincidência que no dia que o STF condenou José Dirceu e José Genoíno pelo crime de formação de quadrilha, com direito a voto desrespeitoso do ministro Marco Aurélio Mello fazendo alusões ao número de condenados e ao número do PT na justiça eleitoral, o Jornal Nacional tenha feito uma matéria sobre o fato com quase 20 minutos, inserida meticulosamente, após o horário político de José Serra, que também explorou o tema mensalão em seus 10 minutos e, justamente, naquele dia e no seguinte, o Datafolha saiu as ruas para fazer nova pesquisa de opinião sobre a corrida eleitoral da maior cidade do país?

O Ibope também.

Quem contratou a pesquisa Datafolha?

A Rede Globo.

Quem contratou a pesquisa Ibope?

O jornal Estado de São Paulo.

Coincidência?

Nem é preciso responder a sério tal questão.

Todo o esforço de Mello, do Jornal Nacional e da propaganda eleitoral do PSDB paulistano, naquela noite de terça  tinha o objetivo de atingir Fernando Haddad e provocar uma sensibilização acentuada na opinião dos eleitores que fosse capaz de esvaziar os percentuais de intenção de voto no petista e forjar uma nova conjuntura capaz de arrebatar o noticiário e deflagrar a reação de Serra.
Mas o fato é que o resultado da pesquisa mostrou que o povo de São Paulo rejeita um José (Serra) e pode estar sinalizando que é solidária aos outros dois “Josés”, condenados de véspera pela mesma Globo e suas coirmãs midiáticas, Folha, Veja e Estado de São Paulo.

O STF apenas protocolou o resultado da ação combinada.

Fernando Haddad não sai arranhado desta trapaça porque representa a esperada mudança para os paulistanos, a mesma que Lula iniciou em 2002 para o Brasil e simboliza, acima de tudo, a fadiga de um modelo de governar, representados por Serra e PSDB, que não olha pelos que mais necessitam do poder público e que se jubilam em um contexto totalmente descolado da realidade dos cidadãos da cidade mais rica do Brasil, mas ainda repleta de exemplos de desigualdade.

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: