Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

"A Fazenda" ou "BBB": valores nocivos contaminam a sociedade

No reality show da Globo, um participante teria se aproveitado sexualmente de outra  integrante do programa, foi expulso por isso, mas emissora, ainda assim, manteve índices de audiência altos

As maiores emissoras de televisão aberta brasileiras apostam, de forma contumaz, em formatos de programas que, moldados pela simplicidade de suas mensagens, atingem milhões de pessoas, vazios de conteúdos aproveitáveis para a sociedade.

O reality show A Fazenda, da Rede Record, expõe uma série de artistas e celebridades conhecidas dos telespectadores, em uma simulação da vida no campo, de trabalho duro e horários de atividades madrugadores, que premia o “peão” ou “peoa” que vencer a competição, pela preferência do público (seu juiz máximo), com R$ 2 milhões.

O que se discute, os discursos e atitudes dos famosos revelam, diretamente, os valores que tais fórmulas propagam.

Nesta edição do reality rural aconteceram duas tragédias familiares com dois participantes diferentes.
Em ambos os casos morreram familiares próximos dos “peões”.
Em uma das eventualidades a participante foi avisada pela produção de A Fazenda sobre ocorrido e poderia ter deixado o programa para acompanhar o funeral de sua irmã, assassinada pelo próprio marido, mas se assim o fizesse estaria desistindo do prêmio, por tal decisão.
Preferiu permanecer no programa até o seu fim.

Em outro caso, foi a própria família de outro “peão” que preferiu não comunicar ao mesmo que sua irmã, de criação, falecera, para “não atrapalhar o participante na busca pelo prêmio milionário”.

A mensagem que tais shows da realidade televisivos passam a sociedade, via audiência, é que tudo é válido na busca de um “objetivo maior”.
Que não existem laços, de amizade ou familiares, que possam se postar no caminho da vitória de uma pessoa que não possam ser contornados ou atropelados.

Estes dois exemplos bizarros demonstram o contágio perigoso que a grande platéia deste tipo de programa está vulnerável.
A constatação que a audiência do reality show não caiu após os ocorridos, pode transparecer uma certa aceitação do público a este tipo de valor, uma tolerância ao rompimento de vínculos sociais importantes, como a da família, e uma apologia maléfica para o conjunto da sociedade de uma valorização, a qualquer preço, das necessidades individuais do ser humano além de qualquer outra, o individualismo suplantando qualquer sentido coletivo e de solidariedade para com o próximo.

A televisão brasileira tem investido milhões de reais na produção de programas deste tipo, dezenas de empresas patrocinam tais iniciativas e as pessoas comuns podem estar consumindo idéias que promovem a destruição de valores essenciais daquilo que os enfraquecem como coletividade.

Apesar do programa ter tido o contato com os familiares ou participantes sobre os tristes acontecimentos que se sucederam, a exploração deste tipo de desvio moral ou ético, faz da emissora tão ou mais responsável por aquilo que divulga como lúgubres desdobramento dos fatos mencionados.

Por baixo do edredom do BBB
Recentemente, na última edição do Big Brother Brasil, produzido e transmitido pela Rede Globo, teria ocorrido um estupro de uma participante por outro, embaixo dos edredons, televisado sem pudores pela rede de televisão.  O que se confirmou pela expulsão do participante transgressor, somente após a má recepção da ocorrência na  mídia.
A programação seguiu, como se nada de grave tivesse acontecido e os índices de audiência permaneceram no mesmo patamar.

Ou seja, por baixo do edredom ou na ignorância da importância dos nexos familiares ou de amizade, vale qualquer coisa para se conseguir aquilo que se almeja, sejam milhões de reais, ou relativizando para a vida real, o que quer que se queira alcançar, nada vai importar ou será obstáculo que não possa ser passado por cima, que se danem a ética ou valores que edifiquem grupos sociais.

A televisão investe em prêmios milionários, mas embalada por uma pobreza impressionante de valores úteis para o seu telespectador.
A televisão brasileira busca plateias cada vez maiores e fiéis, nem que para isso seja preciso, e estão dispostas a tal função, idiotizar o telespectador comum.

Anúncios

Um comentário em “"A Fazenda" ou "BBB": valores nocivos contaminam a sociedade

  1. Pingback: Cuspir na cara pode: valores morais condenáveis em horário nobre | Blog Palavras Diversas

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/07/2012 por em imprensa conservadora e marcado , , , .

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: