Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Stepan, Demóstenes e Perillo(?): afundando na cachoeira de escândalos

Quinze anos de amizade e não sabia o que o “amigo” fazia?  PPS, DEM e PSDB estão na lista do contraventor Carlinhos Cachoeira.  A oposição se afoga neste escândalo

Além do DEM, da redação da revista Veja, do governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, eis que Stepan Nercessian, deputado federal do PPS pelo Rio de janeiro, também aparece no rol de envolvidos com um dos chefes da máfia de caças níqueis. Figuras conhecidas dos três principais partidos de oposição, que costumam bradar em nome da ética e dos bons costumes políticos em plenários vazios da Câmara e do Senado, apenas para serem filmados pelas câmeras da TV para aparecer no Jornal Nacional de segunda e sexta-feira, encontram-se afogados em um envolvimento suspeito, não apenas pela “amizade” com Carlinhos Cachoeira, mas porque todos os citados também envolveram dinheiro e favores na relação com o bicheiro.

Stepan, amigo de bicheiro a 15 anos e até hoje não sabe que o jogo do bicho é contravenção? Mas que desculpa… Ou vai alegar que não sabia que o “amigo” e credor era contraventor?
Nesse enredo de horrores que a tríade PPSDemB se envolveu, eis que o senador gaúcho Pedro Simon resolveu “aconselhar” Demóstenes Torres a renunciar ao seu mandato, para, segundo o peemedebista, apresentar   “um gesto de inteligência. Uma forma de ele mesmo se poupar. Porque se não renunciar será cassado.” 
Mas Simon, isso lá é conselho?
Deveria aproveitar o momento e dizer que o senado vai investigar o político goiano a fundo e punir, de acordo com as evidências que não param de surgir, para servir de exemplo.  Afinal alguém que usava o parlamento como palco para a defesa da ética e defenestrar seus adversários neste campo, deveria ser punido com mais rigor.
Stepan Nercessian adota mesmo discurso de Demóstenes para se defender
O discurso do deputado federal Stepan Nercessian (PPS-RJ) utilizou o mesmo argumento que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) usou quando surgiram as primeiras denúncias de sua ligação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Na época, ao ser questionado por ter recebido presentes de casamento avaliados em R$ 30 mil do contraventor, o demista afirmou que não sabia das atividades criminosas do amigo.

Dinheiro “completamente” legal
Nercessian afirma que é amigo de Cachoeira há mais de 15 anos e que seu mandato não colaborou de nunhuma forma com os interesses do contraventor. Ao mesmo tempo, acreditou que o dinheiro era “completamente legal”.

A diferença entre os dois casos é que o deputado pediu licenciamento do PPS assim que as denúncias foram veiculadas, enquanto Demóstenes ainda constrange o Democratas, que aguardará sua desfiliação até este mês, segundo lideranças.

JB on line

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 02/04/2012 por em Uncategorized.

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: