Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

1º de abril! PSDB integrará governo Dilma!

Apesar da saudade do poder, de participarem das instâncias decisivas e formulação de políticas, o PSDB, logicamente não faz parte do governo Dilma e tudo (e muito mais que não foi dito) está inversamente significando a realidade.   1º de abril!

Este esforço de narrativa fictícia, serve para afirmar, de maneira fantasiosa, aquilo que maleficamente representam o PSDB e suas lideranças para o país, a história recente nos confirma isso…

Executiva Nacional do partido aprovou moções históricas

Após longas discussões acaloradas, uma decisão foi tomada: o PSDB apoiará, na Câmara e no Senado, o governo da presidenta Dilma.  FHC e Serra foram os principais artífices dessa virada.  Procuraram, pessoalmente, Lula e Marco Aurélio Garcia para, após demoradas conversas no apartamento de Lula em São Bernardo, levarem as instâncias do partido tal proposta, apoiada por maioria esmagadora dos votos da executiva nacional dos tucanos.
O PSDB também aprovou a revisão de suas premissas como o soterramento das idéias neoliberais; a condenação e mea culpa pelas privatizações, principalmente a da Vale, que especificamente se comprometeram a lutar no Congresso pela sua reintegração total ao poder público; decidiram pelo diálogo com os movimentos sociais, principalmente com o MST e já definiram uma instância partidária para isso, a cargo de Álvaro Dias. 

Outras revisões programáticas foram adotadas:
Combate ao bloqueio americano de Cuba;
Maior integração com os governos populares da América Latina e apoio a Ollanta Umalla nas eleições peruanas;
E, surpreendentemente, após as deliberações históricas do tucanato, a expulsão de FHC e Serra, reprimenda a Aécio Neves e Alckmin;
Criação de um instituto pluripartidário para incentivar o estudo e disseminar o Novo Brasil construído por Lula e Dilma;
O comando da legenda ficará a cargo de Octávio leite, que já alinhou com os tucanos do Rio de Janeiro apoio a Cabral e Paes;
Definiu-se também a tutela oficial do PPS, que passa a ser parte do PSDB, aspiração histórica de Roberto Freire e Raul Jungman.

Base aliada

Apesar de toda disposição do PSDB em integrar o governo Dilma, os partidos da base aliada devem ainda apreciar este movimento dos tucanos.  O PP, liderado por Bolsonaro, já afirmou que se o PSDB integrar o governo, eles abandonarão a coalizão governista, por entenderem ser incompatível com seu programa participar do mesmo governo que os tucanos, a quem Bolsonaro atacou, chamando-os de “pervertidos políticos”, já Maluf, dissidente do movimento liderado por Bolsonaro disse que “o diabo não é tão feio quanto parece”.
Já Ciro Gomes ficou encarregado de receber os tucanos para conversar.

DEM e PSOL estudam construir frente parlamentar contra o governo e estudam fundirem-se brevemente como resposta a traição tucana no Congresso.

Anúncios

Um comentário em “1º de abril! PSDB integrará governo Dilma!

  1. Castor Filho
    01/04/2011

    Excelente! Traz esperanças num dia como o de hoje!
    Só que a melhor notícia você não deu… Lula será candidato ao Governo de SP nas próximas eleições estaduais! Faz parte do acordo acima… Tudo alinhavado por, pasmem, José Serra!
    Abraço
    Castor

    Curtido por 1 pessoa

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 01/04/2011 por em Uncategorized.

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.452 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: