Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

Quem realmente venceu

Algumas considerações das apurações

A base governista na Câmara Federal cresceu para algo em torno de 400 deputados, com o fortalecimento dos partidos à esquerda, com a liderança do PT, seguido por PSB, PDT, PC do B.

O povo elegeu uma bancada para o Senado maciçamente apoiada por Lula e pró-Dilma Roussef. Atualmente o governo sofre com votações no Senado e nas comissões especiais da casa legislativa, na próxima legislatura o PT e o PMDB ampliarão suas bancadas, principalmente o PT que passará a ter 14 senadores.

Nos governos estaduais a coalizão governista de apoio à Dilma elegeu a maioria dos governadores, vencendo 12 de 19 estados em primeiro turno, e é favorita na maioria das disputas em segundo turno, 6 contra 3 da oposição.

Apesar da eleição presidencial ir para o segundo turno, toda a composição política de sustentação foi construída para sustentar, com folga, um governo Dilma. Resultado da exitosa participação de Lula e dos partidos da base na campanha.
Para a presidência houve, nitidamente, mais uma intervenção midiática, na construção de uma imagem política e um fenômeno silencioso e invisível, de última hora, para cooptar votos de Dilma, sem ameaçar o espólio eleitoral de Serra. O que deu certo, até além da conta, mais alguns dias e Marina poderia ter ultrapassado Serra.

Apesar destas conjunções todas, executadas aos 45 minutos do segundo tempo, pode-se afirmar, com firmeza, que Dilma é favorita em 31 de outubro e tem ao seu lado a vantagem de, finalmente, poder discutir com um adversário de fato, tête a tête, projetos distintos de nação e realizar, em segundo turno, o plebiscito idealizado por Lula, colocando em jogo a permanência do modelo atual ou do modelo do governo passado, de FHC.

Mais uma crise na oposição não explorada pela mídia
O segundo turno começa com mais uma crise na oposição, que não será explorada pela imprensa, claro. A idéia de substituir o vice de Serra, Índio da Costa, no meio do jogo é pior do que a própria escolha do deputado do DEM para ocupar o cargo. Demonstra oportunismo e falta de confiança no colega de chapa e no DEM carioca.
E se cogitassem substituir o Temer, qual seria a reação da imprensa???

Anúncios

Um comentário em “Quem realmente venceu

  1. Tahiana
    05/10/2010

    A desvantagem de ir a um segundo turno é a mesma de sempre, o lado mais inescrupoloso cavando manchetes para confundir a população. Gostei do Blog, estou divulgando!

    Curtir

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 04/10/2010 por em Uncategorized.

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: