Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

O efeito delay no Datafolha: a diferença pode ser ainda maior

Vox Populi e Sensus, apontaram as tendências bem antes

Pesquisa Datafolha aponta um rumo cada vez mais cristalizado: a vitória do projeto de continuidade do governo Lula, Dilma Roussef a primeira mulher a presidir o país.
O problema do Datafolha, sem se ater sobre os candidatos, é que o Datafolha vem sempre atrás, colhendo resultados com delay, logo superados por outros institutos de pesquisas, até mesmo pelo Ibope, que também apresenta as tendências depois de Vox Populi e Sensus.
O Datafolha é um instituto de pesquisas de opinião pública, vinculado ao jornal paulista, Folha de São Paulo, suspeitíssimo em seus editoriais conservadores, muito próximos das administrações tucanas em São Paulo, destacadamente de Alckmin até o governo Serra.

Crer que exista certa edição dos números poderia não ser um exagero, mas identificar que, nestas eleições, o Datafolha está com números publicados caducos, isto com certeza todos podem testemunhar.  Foi o último órgão a mostrar Dilma a frente de Serra, até cerca de um mês atrás a oposição estava liderando e com perspectivas de vitória.  Mas nos outros institutos esta perspectiva era quase nula, compare os resultados de final de julho e inicio de agosto dos quatro principais institutos de pesquisa:

Fonte Portal IG
Metodologia também capenga

João Francisco Meira, presidente do Vox Populi, aponta que a diferença entre os resultados dos institutos pode estar na metodologia e na amostra de entrevistados escolhidos. Vox Populi, por exemplo, as pesquisas são feitas através de parâmetros censitários apontados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística). O Vox Populi e o instituto Sensus chegam aos eleitores de áreas rurais no Brasil, Ibope e Datafolha não possuem tal alcance.

O Datafolha escolhe áreas onde existe maior circulação social, como uma padaria, uma praça ou uma zona comercial. Não fazem pesquisas domésticas, as entrevistas do Datafolha são feitas na rua, durante o horário de maior circulação de pedestres. “Pode parecer uma bobagem, mas num cenário de disputas ideológicas, o entrevistado está muito mais a vontade em responder uma pesquisa política em casa do que no meio da rua”, afirma Meira.
A escolha do Datafolha não garante que os eleitores pesquisados possam ser de diferentes classes sociais, idades e escolaridade. “Por terem poderes aquisitivos distintos, os entrevistados têm hábitos diferentes e meios de locomoção totalmente opostos. Isso dificulta a representação de camadas sociais, importante para ponderar o peso de qualquer pesquisa de opinião”, justifica o executivo.

Por certo, tais erros não se devem a falta de estrutura ou recursos, humanos e financeiros, para melhorar a apuração dos dados.  Muito pode ser discutido, desde a opção intencional de apurar locais onde haja uma maior dispersão de preferências políticas e equilibrar “o jogo” com a apresentação desses resultados, distorcidos da realidade. 
O fato é que, um pouco, o Ibope e, muito, o Datafolha, tem corrido atrás, pegando carona nas tendências demonstradas nas pesquisas Sensus e Vox Populi (ou acomodando seus números nos resultados alheios), as metodologias distintas e o alcance social e geográfico diferentes possam não ser suficientes para explicar tamanha disparidade.

Palpite infeliz
O Guru dos institutos de pesquisas, Carlos Augusto Montenegro, em meados de 2009, afirmou categoricamente que Lula não faria de Dilma sua sucessora, pois baseado no fato de que naquele período, Serra estava disparado na liderança, com cerca de 40% e Dilma com pouco menos de 10%.  Afirmava ele, baseado apenas em suas idéias políticas, que a pouco mais de um ano das eleições seria quase impossível tal virada nas pesquisas, segundo as eleições ocorridas no pós ditadura militar (esqueceu-se de Collor em 1989 e FHC em 1994)…Teve que mudar seu script e admitir, há pouco mais de um mês, que as eleições podem se encerrar em 3 de outubro, em favor de Dilma Roussef.

Tudo isso leva a crer que os números apresentados pelo Datafolha já estejam caducos, por deficiência metodológica ou “cortes políticos” nas margens de erros, convém esperar o Sensus e o Vox Populi para conferir, pois estes dois institutos se credenciaram, com respeito a realidade e afinco científico, para referência e credibilidade.

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 22/08/2010 por em Uncategorized.

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.450 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: