Palavras Diversas

Desde 2010 observando política, mídia e sociedade

A "boca de Hipopótamo" que o Ibope tentou esconder nas eleições municipais de 2008


Qual a dimensão real da diferença de intenções de votos? Datafolha e Ibope divergem entre si e, talvez, da realidade…

O termo “boca de jacaré” ilustra a diferença extrema entre candidatos em uma disputa eleitoral, quanto maior a diferença entre eles, maior a boca do jacaré.
Ocorre que, neste momento, o Datafolha insiste em mantê-la fechada, no máximo permite um “leve bocejo”, pequena diferença pró-Serra. Mas muitas vezes, exemplos já ocorreram neste sentido, as pesquisas também contribuem para que a “boca do jacaré” não se abra tanto, a ponto de influir no voto dos indecisos e determinar uma derrota acachapante em primeiro turno. Os números apesar de mostrarem as diferenças, mas sem acentuar os contornos dramáticos que as pesquisas eleitorais podem mostrar para as candidaturas fadadas a naufragar nas urnas, combinado com o editorial jornalístico, pretenso imparcial, procuram minimizar tamanhas disparidades com números mais discretos e analisados “por especialistas isentos”.

Uma campanha com uma diferença enorme entre os candidatos, em um momento decisivo como este, pode trazer sérios abalos referentes ao acerto de alianças políticas, fidelidade dos consortes e, principalmente, queda ou fuga de apoiadores financeiros. Sem falar no rumo daquele eleitor indeciso que opta pelo candidato que representa a “onda do momento”.


As bocas de jacaré apresentadas nas últimas pesquisas, somente o Datafolha mantém fechada…

A pesquisa Ibope apesar de apresentar números favoráveis a Dilma Roussef, parece ainda poupar a oposição de todo este contexto nefasto de prenúncio de uma derrota estrondosa, o que poderia abalar seriamente, neste momento, os pilares da candidatura oposicionista e o futuro político de seus principais personagens.

Boca de Hipopótamo
Em 2008 durante a campanha eleitoral para a prefeitura de Nova Iguaçu, região metropolitana do Rio de Janeiro, o candidato a reeleição, Lindberg Farias, liderava todas as pesquisas, inclusive as do Ibope, contratada da TV Globo/RJ, contra o rival Nelson Bornier, ex-prefeito da cidade por dois mandatos. A manipulação ocorria nos resultados discretos que apontavam vitória de Lindberg, apesar de outros institutos, menos conhecidos, apresentarem, desde o início, vantagem muito maior.
A última pesquisa Ibope antes do primeiro turno apontava vitória de Lindberg em primeiro turno, com cerca de 53% dos votos válidos, o que, segundo a margem de erro e os indecisos, poderia levar o pleito ao segundo turno.

O Ibope naufragou em seus números e o candidato poupado por suas pesquisas levou uma surra monumental, perdendo a eleição por uma diferença de 66% a 33%, dados oficiais do TRE, derrota histórica! A boquinha do jacaré na verdade escondia uma boca de hipopótamo, mas não conseguiu esconder a vontade do eleitor na hora do voto.

Carlos Augusto Montenegro, presidente do Ibope, previu, em meados de 2009, que Lula não conseguiria fazer seu sucessor. Com esta opinião, desprovida de qualquer análise política-eleitoral, e comprometida politicamente, Montenegro já tentava impedir que a boca do jacaré pudesse se transformar algum dia em uma boca de hipopótamo.
À conferir.


Bookmark and Share

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 31/07/2010 por em Uncategorized.

Democratização da mídia, apóie!

Seja amigo do Barão!

Digite seu e-mail para seguir este blog e receber notificações de novos posts.

Junte-se a 3.451 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: